10+ Projeto Motor #24: disputas de campeonato com mais títulos envolvidos

4

Tudo indica que realmente teremos um embate entre Lewis Hamilton e Sebastian Vettel pelo título de 2017 da F1. Como já citamos na nossa análise aqui no Projeto Motor, é uma disputa envolvendo os dois principais vencedores dos últimos 10 anos da categoria, com sete campeonatos entre os dois.

Brigas entre pilotos com tantas taças assim é menos comum do que você pode imaginar, o que mostra o tamanho deste duelo. Por isso, nesta edição do 10+, resolvemos pesquisar as decisões de campeonato com envolveram mais títulos entre os candidatos.

Fique ligado em nossas redes sociais: 
Twitter – @projetomotor
Facebook – Projeto Motor
Youtube – Projeto Motor

Importante destacar que como critério inicial para entrar na lista, separamos as disputas que tinham pelo menos dois campeões mundiais. Michael Schumacher contra Kimi Raikkonen em 2003, por exemplo, não conta, mesmo tendo cinco títulos envolvidos, já que todos eram do lado do alemão.

Além disso, só foram considerados os títulos que os pilotos tinham até o início daquela temporada. Ayrton Senna, por exemplo, tinha ainda apenas um título em 1990, e não os três que conquistaria no total de sua carreira.

Vamos ao ranking:

10 – Temporada de 1953 – 3 títulos
Candidatos:
Alberto Ascari (1), Juan Manuel Fangio (1) e Giuseppe Farina (1)

Ascari

A quarta temporada de existência da F1 viu uma briga entre os três primeiros campeões. Mas foi Alberto Ascari que levou a melhor e garantiu a honra de ter sido o primeiro bicampeão de todos os tempos na categoria.

Na verdade, Ascari, a bordo da poderosa Ferrari 500, apresentou vantagem por toda a campanha, o que o permitiu selar o título com duas provas de antecipação. No entanto, Farina, também de Ferrari, e Fangio, de Maserati, tiveram chances matemáticas até determinado momento, mas já era difícil tirar o bi da mão de Ascari – até hoje o último italiano a alcançar o triunfo máximo na F1.

9 – Temporada de 1973 – 3 títulos
Candidatos:
Jackie Stewart (2) e Emerson Fittipaldi (1)

Stewart com a Tyrrell em 1973: o que hoje é clássico na época era, acreditem, um tédio
Stewart com a Tyrrell em 1973: o que hoje é clássico na época era, acreditem, um tédio

O tricampeonato de Stewart não representou a conquista mais suada que um piloto pode ter, mas, mesmo assim, o escocês teve seus sustos. Até o GP da Suécia, na metade do campeonato, o ás da Tyrrell duelava ponto a ponto com Fittipaldi pela liderança da tabela, só que, dali para frente, assumiu a ponta e disparou.

Em determinado momento, Fittipaldi precisou lutar contra François Cevert, parceiro de Stewart, pelo segundo lugar na tabela, sendo que o próprio brasileiro enfrentava seus arranca-rabos na Lotus. Stewart selou o título a duas provas para o fim do campeonato, que o permitiu abdicar de participar da corrida dos Estados Unidos, a última, após a morte brutal de Cevert em um acidente.

8 – Temporada de 1986 – 3 títulos
Candidatos:
Nelson Piquet (2), Alain Prost (1), Nigel Mansell (0) e Ayrton Senna (0)

lendas senna prost mansell e piquet

A famosa foto tirada na mureta do circuito do Estoril colocou lado a lado alguns dos maiores nomes da história do automobilismo. Contudo, em perspectiva, na época tratavam-se de um brasileiro bicampeão, um francês que ainda tentava seu segundo título e outros dois pilotos que ainda buscavam a glória máxima na F1.

Aquela foi uma das batalhas mais famosas da história. Os pilotos da Williams tiveram dificuldades na rodada decisiva e Prost, em campanha inspirada, conquistou o bi de maneira surpreendente. Ayrton Senna chegou a se meter na briga até certo ponto, mas sua Lotus não possuía o fôlego para mantê-lo na disputa até o fim.

Confira a série “1986, a temporada que definiu uma geração”:
PARTE 1 – Ayrton Senna | PARTE 2 – Nelson Piquet | PARTE 3 – Nigel Mansell | PARTE 4 – Alain Prost

7 – Temporada de 1989 – 3 títulos
Candidatos:
Alain Prost (2) e Ayrton Senna (1)

Senna Prost 1989

A rivalidade que dominou a F1 na virada dos anos 80 para 90 viu a primeira disputa com ambos já campeões em 89. Senna, que desbancou Prost para conquistar seu primeiro título em 88, buscava o bi em uma temporada que mais uma vez viu os pilotos da McLaren isolados na luta pela taça.

Todos se lembram do que aconteceu ao fim: Prost conquistou seu terceiro título em uma manobra que até hoje dá o que falar. No entanto, a rivalidade entre Senna e o francês ainda estava longe de acabar.

6 – Temporada de 2010 – 4 títulos
Candidatos:
Fernando Alonso (2), Lewis Hamilton (1), Jenson Button (1), Mark Webber (0) e Sebastian Vettel (0)

F1 Grand Prix of South Korea - Previews

Foi uma das raras vezes em que três equipes tiveram chances reais de título. Isso permitiu a três campeões sonharem com mais uma taça, sendo que outros dois pilotos também contavam com a oportunidade de ouro de triunfar.

Button correu por fora na briga, mas ficou sem chances matemáticas a partir do GP da Coreia do Sul. Já Alonso, Hamilton, Webber e Vettel estavam no páreo na rodada decisiva, em Abu Dhabi. No fim, quem surpreendeu foi o jovem alemão, que venceu de maneira improvável o seu primeiro título.

5 – Temporada de 1990 – 4 títulos
Candidatos: Ayrton Senna (1) e Alain Prost (3)

Senna Prost suzuka 1990

Uma temporada que tem como imagem mais marcante o polêmico acidente na curva um de Suzuka, que definiu o campeonato em favor de Senna. Era o terceiro ano consecutivo em que o brasileiro lutava de forma direta pelo título com Prost, e talvez o auge da rivalidade entre os dois, principalmente depois do desfecho em 89, também com uma batida entre eles no circuito japonês, que tinha favorecido o francês.

Em 90, Prost correu pela Ferrari, que ainda tinha Mansell e um carro mais competitivo do que em anos anteriores. Com Williams e Benetton também vencendo corridas, foi provavelmente uma das melhores temporadas do período.

LEIA MAIS:
Choque em Suzuka estragou temporada mais legal da “era Senna”

4 – Temporada de 2012 – 4 títulos
Candidatos: Sebastian Vettel (2) e Fernando Alonso (2)

Sebastian Vettel, Fernando Alonso

Um campeonato um pouco maluco, com vitórias de oito pilotos e seis equipes diferentes. Por boa parte da temporada, tudo indicava que Alonso e a Ferrari finalmente conquistaram o primeiro título da parceria, mas uma reta final sensacional de Vettel e dois abandonos do espanhol por acidentes fizeram com que a coisa virasse no final.

A decisão acabou sendo em uma dramática corrida com chuva em Interlagos, em que o alemão da Red Bull caiu para último na primeira volta após um acidente, e conseguiu a recuperação para terminar em sexto e conquistar o seu terceiro Mundial consecutivo.

LEIA MAIS:
As melhores decisões de título da F1 na corrida final do campeonato

3 – Temporada de 2000 – 4 títulos
Candidatos: Michael Schumacher (2) e Mika Hakkinen (2)

schumacher 2000 suzuka

Foram 21 anos de espera até que os torcedores da Ferrari pudessem ver a tradicional equipe de Maranello conquistar o campeonato de novo. E não foi fácil. Depois da contratação de Schumacher, para 96, foram mais quatro temporadas reconstruindo o time até que em 2000 o alemão pudesse finalmente sagrar-se tricampeão mundial, entrando de vez na galeria dos maiores da história.

O título veio em uma decisão em Suzuka, com uma batalha direta entre os dois candidatos, e Schumacher conseguindo a ultrapassagem que lhe valeu o campeonato na estratégia de pits. Mal sabiam todos na F1 que aquela conquista seria apenas a primeira de uma grande era para o alemão e a escuderia italiana.

2 – Temporada de 1967 – 5 títulos
Candidatos: Denny Hulme (0), Jack Brabham (3) e Jim Clark (2)

hulme braham 1967 carona

Apesar de dominada pelos companheiros Hulme e Brabham, Jim Clark e a Lotus chegaram a ameaçar o domínio da equipe do piloto australiano com seu novo 49 e o motor Cosworth DFV. Clark conquistou seis poles durante o ano. Seu companheiro Graham Hill marcou outras duas, comprovando a velocidade do conjunto. Porém, os vários problemas de confiabilidade tiraram o escocês da disputa na reta final do campeonato.

Brabham ainda tentou uma recuperação nas últimas etapas, mas a consistência de seu parceiro (e funcionário) valeram no final e fizeram de Hulme o único neozelandês campeão mundial.

LEIA MAIS:
Um campeão anônimo no Olimpo da F1: a história de Denny Hulme

1 – Temporada de 2006 – 8 títulos
Candidatos: Fernando Alonso (1) e Michael Schumacher (7)

alonso 2006

Depois de 2000, a primeira vez que Schumacher enfrentou um campeão pelo título foi apenas em 2006, quando ele já tinha sete campeonatos no currículo. Sendo assim, mesmo Alonso ainda tendo apenas uma taça na estante de casa, apenas as conquistas do alemão já seriam o suficiente para colocar esta disputa na primeira colocação do nosso ranking.

Foi um campeonato interessante, com Renault e Ferrari guerreando até a etapa final em Interlagos, em uma temporada em que ainda contava com a batalha de fabricantes de pneus, com a Michelin do lado dos franceses e a Bridgestone dos italianos. Schumacher vinha de cinco vitórias em seis corridas quando um problema de motor na penúltima prova, no Japão, praticamente selou o destino do campeonato.

No encerramento, no Brasil, que marcaria também a primeira aposentadoria do heptacampeão, ele ainda precisou se recuperar de um pneu furado que o jogou para 20º para conseguir terminar em quarto. Mas o segundo lugar garantiu o bicampeonato de Alonso.

 

Debate Motor #70: Quem ganha o que com presença de Alonso na Indy 500?

 Comunicar Erro

Projeto Motor

Automobilismo além da notícia!

  • Leandro Farias

    O critério é de disputa até a última corrida? Porque se for, isso explicaria a ausência de 93 (senti falta).

  • Dox

    Não entendi o critério.
    É para se levar em conta a primeira ou a última prova da temporada?

  • Gabriel Pena Catabriga

    Se for considerar o início da temporada de 2012 – Seria

    Alonso (2)
    Vettel (2)
    Kimi (1)
    Button (1)
    Lewis (1)
    Shumy (7)

    Seriam 14 títulos e essa merecia uma menção honrosa!! Até porque nas 7 primeiras etapas teve 7 vencedores distintos.

    • Andre Luis Coli

      2012 foi uma temporada louca!