As melhores apresentações de Raikkonen na F1 | 10+ Projeto Motor #34

0

No último GP da Itália (02/09), apesar de ter perdido a vitória, Kimi Raikkonen conquistou uma marca importante que apenas outros quatro pilotos (Alain Prost, Sebastian Vettel, Lewis Hamilton e Michael Schumacher) na história possuem na F1: 100 pódios.

Fique ligado em nossas redes sociais: 
Twitter – @projetomotor
Facebook – Projeto Motor
Youtube – Projeto Motor
Instagram – @projetomotor

Para celebrar o carismático finlandês, que mesmo não sendo um homem de muitas palavras é um dos mais populares do grid, relembramos 10 atuações do Homem de Gelo que certamente estão entre suas melhores desde que ele estreou na F1, em 2001.

10 – GP da Austrália de 2007
Grid: 1º
Final: 1º

Kimi Raikkonen venceu o GP da Austrália em sua estreia na Ferrari
Kimi Raikkonen venceu o GP da Austrália em sua estreia na Ferrari

Não foi uma corrida de grandes ultrapassagens ou belos momentos, mas de domínio por parte de Raikkonen, que largou na pole e controlou a prova, deixando os rivais brigando pelas sobras. O que a torna tão especial é de ter sido a primeira vitória na Ferrari logo na estreia pela equipe de Maranello. O início de uma relação de amor e ódio, casamento, divórcio e casamento novamente, que perdura até os dias de hoje. Não é qualquer piloto que entra em uma equipe do tamanho da Ferrari já vencendo. Raikkonen realizou o feito, marcando o início da campanha de seu único título mundial.

9 – GP da Austrália de 2001
Grid: 13º
Final: 6º

Raikkonen conquistou um sexto lugar na estreia na F1
Raikkonen conquistou um sexto lugar na estreia na F1

Raikkonen fazia sua estreia na F1, pela Sauber, e sob observação da FIA. Com apenas 20 anos e uma carreira de meras 23 corridas em carros nas categorias de base pós-kart, muita gente estava preocupada se ele não era muito precoce para a principal categoria do automobilismo. O finlandês saiu na 13ª posição no grid e fez uma corrida conservadora, mas muito consistente, para terminar na sexta colocação, marcando um ponto em sua primeira prova (na época, apenas os seis primeiros pontuavam). Um ótimo começo de carreira.

8 – GP da Bélgica de 2009
Grid: 6º
Final: 1º

A Ferrari não tinha um carro para brigar pelas primeiras posições em 2009, ano em que uma mudança no regulamento bagunçou bastante a distribuição das forças do grid. Raikkonen estava sob pressão na equipe por falta de desempenho consistente. Naquele domingo, porém, ele mostrou como se dá bem com a pista de Spa. Saiu em sexto e conseguiu uma ótima largada, pulando para terceiro. No algo da colina, na reta Kemmel, deixou Kubica para trás e assumiu a segunda posição ainda na primeira volta. O Safety Car entrou por conta de um acidente com vários carros, e na relargada Kimi engoliu o líder Fisichella e sua Force India. No restante da corrida, ele controlou sua vantagem para o italiano e deu à Ferrari sua única vitória na temporada. No entanto, não foi o bastante para ele se manter no time no ano seguinte.

7 – GP de Singapura de 2013
Grid: 13º
Final: 3º

Raikkonen quase desistiu de participar da prova por conta de fortes dores nas costas. No sábado, ele conquistou apenas a 13ª colocação no grid. Mesmo assim, na corrida, ele foi aos poucos superando os rivais e subindo na classificação com sua Lotus. A oito voltas do final, com uma linda manobra por fora sobre Button, ele assumiu a terceira posição e subiu ao pódio ao final da corrida no circuito de rua asiático, em um domingo que não parecia muito promissor.

6 – GP de Abu Dhabi de 2012
Grid: 4º
Final: 1º

Depois de dois anos fora da F1, Raikkonen voltou à categoria em 2012 pela Lotus em grande forma. Mostrou uma ótima constância durante toda a temporada, o que lhe valeu a terceira colocação no campeonato, mesmo com três times com carros destacadamente melhores que o seu. O auge deste momento foi a vitória em Abu Dhabi. Ele saiu na quarta posição, pulou para segundo e herdou a liderança após a quebra de Lewis Hamilton. Depois, soube controlar o ímpeto de Alonso, que brigava pelo título, para manter a ponta e vencer a prova. Para deixar o triunfo imortalizado, ainda mandou a famosa mensagem de rádio para seu engenheiro “Deixe-me em paz, eu sei o que estou fazendo”.

5 – GP de Mônaco de 2005
Grid: 1º
Final: 1º

Raikkonen mandou no GP de Mônaco de 2005
Raikkonen mandou no GP de Mônaco de 2005

Outro final de semana de pura inspiração do finlandês. Cravou a pole position, superando o rival pelo título Fernando Alonso, e depois controlou a corrida desde a largada, não dando qualquer chance ao espanhol de ataque, seja na pista ou na estratégia, liderando todas as voltas da corrida.

4 – GP da Austrália de 2013
Grid: 7º
Final: 1º

Raikkonen surpreendeu a todos com uma estratégia ousada e boa administração dos pneus no GP da Austrália de 2013
Raikkonen surpreendeu a todos com uma estratégia ousada e boa administração dos pneus no GP da Austrália de 2013

Era abertura da temporada e todos estavam de olho nos favoritos da Red Bull e Ferrari, além da enorme expectativa pela nova Mercedes. A Pirelli produziu pneus de alto desgaste e Raikkonen percebeu logo na pré-temporada que a melhor administração deles seria essencial. E mostrou isso em Melbourne. Saiu em sétimo, soube levar bem seus compostos para fazer uma parada a menos e surpreendeu a todos na estratégia para superar aos adversários e conquistar mais uma vitória pela Lotus quando ninguém esperava. Até esta data, é o último triunfo do Homem de Gelo na F1.

3 – GP da Malásia de 2003
Grid: 7º
Final: 1º

Em sua terceira temporada na F1, o jovem Raikkonen celebrou sua primeira vitória da categoria
Em sua terceira temporada na F1, o jovem Raikkonen celebrou sua primeira vitória da categoria

Raikkonen largou na sétima posição com sua McLaren e fechou a primeira volta em quarto. Dois giros depois, já era o segundo, e na 14ª volta, deixou Alonso para trás e tomou a ponta da corrida. A partir deste momento, mesmo com a inexperiência dos 22 anos e apenas duas temporadas de F1, o finlandês controlou bem a corrida e partiu para sua primeira vitória na categoria.

2 – GP da Bélgica de 2004
Grid: 10º
Final: 1º

Mais uma grande corrida de recuperação do Homem de Gelo. Raikkonen saiu da décima posição do grid e logo na largada fez um movimento agressivo na La Source, por fora, que resultou inclusive em toques com outros carros, para pular para sexto. Na saída da Raidillon, ainda na primeira volta, passou Barrichello e subiu para quinto. Na abertura da quinta volta, fez uma linda manobra sobre Michael Schumacher, saindo lado a lado da La Source e descendo a reta seguinte lado a lado com o piloto da Ferrari para completar a ultrapassagem na Eau Rouge. Duas voltas depois, deixou o companheiro de McLaren, Coulthard, para trás e finalmente assumiu a ponta na 12ª volta ao se beneficiar da quebra da Renault de Alonso. Foi a primeira das quatro vitórias do finlandês em Spa.

1 – GP do Japão de 2005
Grid: 17º
Final: 1º

A grande obra-prima de Kimi Raikkonen. Ele se deu mal na classificação, realizada com tempo instável, e saiu apenas em 17º. Na décima volta, ele já era o nono e seguiu ultrapassando rivais, subindo degrau por degrau. O clímax da prova ficou para a abertura da última volta, quando ele fez a manobra sobre Fisichella por fora no final da reta dos boxes de Suzuka para tomar a ponta e vencer a corrida. Uma das grandes atuações de um piloto na F1 do século.

 

O legado de Fernando Alonso na F1 | Debate Motor #130

 Comunicar Erro

Lucas Santochi

Mais um fanático da gangue que criou vínculo com automobilismo desde a infância. Acampou diversas vezes nas calçadas ao redor de Interlagos para assistir aos GPs e nunca esqueceu a primeira vez que, ainda do lado de fora do autódromo, ouviu o barulho de F1 acelerando pela reta. Jornalista formado em 2004, passou por redações na época da TV Band e Abril, teve experiência na área de assessoria de comunicação esportiva até chegar ao site especializado em esporte a motor Tazio, em 2010. Passou pelas funções de redator, repórter (cobrindo diversas corridas no Brasil e exterior de F1, Indy, WEC, Stock Car, entre outras) e subeditor até o final de 2013, quando o veículo encerrou suas atividades. Trabalhou ainda como redator do UOL Esporte em 2014 até que decidiu se juntar com os outros três membros do Projeto Motor para investir na iniciativa.