Quatro Rodas

Auto Avio Costruzioni: o início da fábrica de sonhos de Enzo Ferrari

0

A história de Enzo Ferrari, fundador de uma das equipes de corridas e fábrica de carros esportivos mais famosas do mundo, é relativamente bem conhecida. Um romântico pelo automobilismo, trabalhou com a Alfa Romeo e depois, nos anos 40, iniciou a formação de seu próprio império.

Fique ligado em nossas redes sociais: 
Twitter – @projetomotor
Facebook – Projeto Motor
Youtube – Projeto Motor
Instagram – @projetomotor

No meio do caminho, porém, existiu uma etapa importante para o italiano de Modena: a Auto Avio Costruzioni, empresa que construiria o primeiro carro de Ferrari.

A Scuderia Ferrari foi fundada em 1929 após a decisão de seu dono se aposentar das pistas como piloto, cansado de ver alguns amigos perderem suas vidas nas corridas e de frente ao nascimento de seu primeiro filho, Alfredo. Ferrari preferiu focar na administração do time e no desenvolvimento de carros como time de fábrica da Alfa Romeo, formando uma linha de estrelas do automobilismo para assumirem os volantes.

A parceria com a montadora de Turim durou até 1933. Quatro anos depois, enfrentando problemas para manter o nível de competidores internacionais, especialmente as alemãs Mercedes e Auto Union, Ferrari acabou com sua equipe e voltou a trabalhar no time oficial da Alfa Romeo, que se chamava Alfa Corse, como diretor esportivo.

Enzo Ferrari posa ao lado de uma Alfa Romeo em 1923 momentos antes de um largada
Enzo Ferrari posa ao lado de uma Alfa Romeo em 1923 momentos antes de um largada

Pessoa de personalidade bastante difícil e sempre muito confiante em seus métodos, Ferrari teve sérios problemas no relacionamento com Ugo Gobbato, diretor administrativo da empresa. Isso fez com que ele saísse mais uma vez da marca do Piemonte ao final de 39.

Ferrari fechou um acordo com a Alfa que lhe valeu um bom dinheiro na saída da empresa, porém, ele não poderia construir carros nem competir usando o seu nome por um período de quatro anos. E aí que entra na história a Auto-Avio Costruzioni (AAC), nova empresa do comendador, com sede em sua cidade natal, Modena.

O negócio principal no início era de vender peças automotivas para equipes de corrida. Com a verba do acordo de saída da Alfa, ele ainda conseguiu erguer uma grande estrutura industrial, que, por imposição do governo fascista de Benito Mussolini, fabricava também equipamentos para os aviões de guerra para o exército.

Em dezembro daquele ano, Enzo recebeu um dia a visita do jovem Alberto Ascari que o convenceu a construir dois carros de corrida para a Mille Miglia de 1940, que aconteceria apenas quatro meses depois.

Ferrari ainda estava furioso com os problemas que enfrentou na Alfa, e também não gostou muito quando a Maserati resolveu mudar sua sede de Bolonha para Modena, o que ele considerava ser seu território. Ele estava com gana de derrotar seus rivais.

Utilizando a estrutura que montou e a brecha de não ter seu sobrenome na companhia, Ferrari viu a oportunidade retornar às pistas, mas agora em um novo nível, não apenas como equipe, mas como construtor. E foi assim que nasceu o AAC 815, o primeiro modelo da história projetado e construído por Enzo Ferrari.

O Auto Avio Costruzioni 815, elegante e esportivo
O Auto Avio Costruzioni 815, elegante e esportivo

Ele contratou os ex-engenheiros da Alfa Rome Alberto Massimino e Vittorio Bellentani para trabalharem no projeto. O nome vinha do motor, um 8 cilindros de 1,5 litro. Era um propulsor de bloco de alumínio desenhado por um engenheiro Fonderia Calzoni, de Bolonha, apenas a alguns quilômetros de Modena. O conjunto ainda tinha transmissão de cinco velocidades integrada ao bloco, tudo fabricado internamente pela AAC, aproveitando bases de peças e sistemas da Fiat. A potência era de 75 cavalos a 5.500 RPM.

A frente do carro tinha uma belíssima frente com uma grande grade frontal e a carroceria em formato aerodinâmico desenvolvida pela Carrozzeria Touring Superleggera, montadora de Milão, construída com uma liga de alumínio e magnésio. O carro inteiro pesava apenas 625 quilos e sua velocidade máxima era de 175 km/h. Apenas dois modelos foram construídos.

Projetados e construídos em apenas quatro meses, obviamente que os carros sofreram com a falta de desenvolvimento, apesar do imenso potencial. Ascari chegou a liderar a prova na categoria até 1.500cc, porém, falhas mecânicas tiraram os dois carros da corrida.

Auto Avio Costruzioni 815, o primeiro carro construído por Enzo Ferrari
Auto Avio Costruzioni 815, o primeiro carro construído por Enzo Ferrari

Com a escalada da II Guerra nos meses seguintes, qualquer investimento para melhorar os carros deixou de fazer sentido e a AAC passou a ser quase que exclusivamente uma indústria fornecedora do exército italiano. Isso fez, inclusive, com que sua primeira e segunda sedes (essa já em Maranello, cidade próxima a Modena) fossem totalmente destruídas em bombardeios.

Quando o grande conflito terminou, em 1945, Enzo já estava livre de seu acordo com a Alfa Romeo e fundou, dois anos depois, sobre os escombros da Auto Avio Costruzioni, a Ferrari S.p.A, empresa que segue até hoje.

O resto é história.

 

Pistas da F1 que deixaram saudade | Debate Motor #126:

 Comunicar Erro

Lucas Santochi

Mais um fanático da gangue que criou vínculo com automobilismo desde a infância. Acampou diversas vezes nas calçadas ao redor de Interlagos para assistir aos GPs e nunca esqueceu a primeira vez que, ainda do lado de fora do autódromo, ouviu o barulho de F1 acelerando pela reta. Jornalista formado em 2004, passou por redações na época da TV Band e Abril, teve experiência na área de assessoria de comunicação esportiva até chegar ao site especializado em esporte a motor Tazio, em 2010. Passou pelas funções de redator, repórter (cobrindo diversas corridas no Brasil e exterior de F1, Indy, WEC, Stock Car, entre outras) e subeditor até o final de 2013, quando o veículo encerrou suas atividades. Trabalhou ainda como redator do UOL Esporte em 2014 até que decidiu se juntar com os outros três membros do Projeto Motor para investir na iniciativa.