Bate-Pronto #19: Hamilton garante tetracampeonato mundial da F1 no México

2

A F1 conheceu mais um tetracampeão mundial! Lewis Hamilton teve atuação conturbada no GP do México, mas conseguiu o resultado suficiente para lhe garantir sua quarta coroa na categoria.

Sebastian Vettel se envolveu em toques nos metros iniciais, e, apesar de fazer boa corrida de recuperação, ficou aquém do que precisava. Com isso, o alemão ficou vulnerável na luta pelo vice, já que Valtteri Bottas, segundo no Hermanos Rodríguez, está apenas 15 pontos atrás.

Acompanhe o PROJETO MOTOR na redes sociais: Twitter | Facebook | YouTube

A prova teve domínio intenso de Max Verstappen, enquanto que Felipe Massa ficou fora da zona de pontos e foi ultrapassado por Lance Stroll na tabela. Analisamos tudo no Bate-Pronto #19! Assista e deixe seu comentário.

 Comunicar Erro

Projeto Motor

Automobilismo além da notícia!

  • MarcioD

    Bela vitória de Max com grande corrida de recuperação de Vettel mas que não foi capaz de impedir o tetra de Lewis. Hamilton com a faca nos dentes partiu para cima de Max e Vettel na 1ª volta e depois executou belas ultrapassagens arriscadas sobre Massa e Alonso, agiu de forma bem diferente de Rosberg no ano passado.

    Foi um excelente campeonato de Lewis, com uma virada a partir da 14ª etapa. Pelas provas iniciais via-se um certo favoritismo de Vettel que com o passar do tempo acabou não se sustentando. Sempre achei que num campeonato tão parelho tudo seria decidido através de acidentes e ou quebras o que acabou de fato ocorrendo.
    Com 4 títulos, quebra do recorde de poles de Schumacher, inclusive alcançado em um nº menor de provas, e com um percentual de vitórias de 30% Hamilton escreve definitivamente seu nome entre os grandes. Das 18 provas disputadas até o momento fez a pole em 11 contra 4 de Vettel e venceu 9 contra 4, ou seja, um grande domínio.
    Em termos de Marketing para a categoria é bem interessante termos um confronto em 2018 de 2 tetracampeões, o que nunca ocorreu antes.
    E temos ai mais um grande domínio prolongado, o da Mercedes com 4 anos, o 1º deles foi Mclaren 88-91, 9 anos depois Ferrari 00-04, 6 anos depois Red Bull 10-13 e agora com 1 ano apenas de diferença temos este da Mercedes. Todos eles com títulos de pilotos e construtores e com mais de 50% de vitorias no período. Em percentual de vitórias o da Mercedes é de longe o maior, perdendo para o da Ferrari em longevidade. Individualmente Mclaren 88 com 15 vitórias em 16 provas continua o maior. Nunca houve tanto desequilíbrio na história da F1.
    Seria muito bom que voltasse a ocorrer algo pelo menos próximo ao período de 25 anos compreendido entre 61-85 onde não houve titulo sequencial de pilotos.

    A esperança é que com a chegada da Liberty haja uma mudança mais radical no regulamento e uma distribuição mais equitativa de verbas e se consiga promover uma categoria mais barata e equilibrada.
    Já está passando da hora de se diminuir o difusor traseiro possibilitando por tabela a diminuição deste limpa trilhos horroroso e gigantesco que há na frente dos carros que quebra e fura pneus à toa atrapalhando muito as disputas por posição.

    Interessante as declarações do Bernie, que perdendo o comando da categoria e chegando aos 87 decidiu revelar que ele e Mosley sempre “torceram” pela Ferrari. http://grandepremio.uol.com.br/f1/noticias/ecclestone-revela-que-atuou-ao-lado-de-ex-presidente-da-fia-para-ajudar-ferrari-foi-a-coisa-mais-inteligente-a-se-fazer

    Acho que este ano estava sendo preparada uma grande festa para comemorar os 70 anos da Ferrari com um titulo e Lewis acabou estragando tudo.

    • Luigi G. Peceguini

      Não só Lewis como também a agressividade excessiva de Vettel (principalmente em Baku e Singapura) e as falhas crassas da Ferrari na Malásia e no Japão.