Clássicos na estrada: os modelos das Mil Milhas Históricas Brasileiras

0

Qual fã de automobilismo que também não gosta de um belo carro? E a história da indústria automotiva nos dá o prazer de poder apreciar durante as décadas algumas obras de arte. Eventos de clássicos como as Mil Milhas Históricas Brasileiras são ótimas oportunidades para conferirmos algumas dessas peças.

Fique ligado em nossas redes sociais: 
Twitter – @projetomotor
Facebook – Projeto Motor
Youtube – Projeto Motor
Instagram – @projetomotor

O Projeto Motor foi conferir o ponto de largada da prova, em São Paulo, para coletar imagens e entrevistas com os proprietários de alguns dos belos carros que competem nas Mil Milhas, que chega em 2018 à sua sexta edição, com um percurso entre a capital paulista e a cidade de Gramado, no Rio Grande do Sul.

E a lista de participantes deste ano das Mil Milhas, como sempre, é muito rica em modelos, estilos, motorização e tamanhos. Temos americanos como Thunderbird, Corvette, Mustang Fastback de 1969 e Cadillac S62, os esportivos europeus como Ferrari GTS, Porsche 911 Targa e MG, ou até alguns estilosos como Jaguar XJ6, Mercedes-Benz 250 SL e um Rolls Royce Corniche.

Além de dois carros muito importantes para nós brasileiros, como um Gordini da equipe Willys que deu a primeira vitória profissional a Emerson Fittipaldi e um Willys Interlagos, o primeiro esportivo produzido no país.

Tudo isso está na reportagem sobre as Mil Milhas em vídeo publicada no alto deste texto, que pode também ser conferida diretamente em nosso canal no Youtube, e ver esses e outros carros que marcaram presença nas Mil Milhas de 2018.

E sempre vale a lembrança para, além de visitar o site, ficar por dentro de nossas redes sociais e se inscrever em nosso canal no Youtube, acionando o sino das notificações, para não perder debates, análises, reportagens técnicas e históricas.

 Comunicar Erro

Lucas Santochi

Mais um fanático da gangue que criou vínculo com automobilismo desde a infância. Acampou diversas vezes nas calçadas ao redor de Interlagos para assistir aos GPs e nunca esqueceu a primeira vez que, ainda do lado de fora do autódromo, ouviu o barulho de F1 acelerando pela reta. Jornalista formado em 2004, passou por redações na época da TV Band e Abril, teve experiência na área de assessoria de comunicação esportiva até chegar ao site especializado em esporte a motor Tazio, em 2010. Passou pelas funções de redator, repórter (cobrindo diversas corridas no Brasil e exterior de F1, Indy, WEC, Stock Car, entre outras) e subeditor até o final de 2013, quando o veículo encerrou suas atividades. Trabalhou ainda como redator do UOL Esporte em 2014 até que decidiu se juntar com os outros três membros do Projeto Motor para investir na iniciativa.