Com briga na justiça, Stock Car decide campeão neste domingo

0

A grande final da Stock Car acontece neste domingo, em Interlagos, sob sombra de lutas no Tribunal de Justiça Desportivo. Daniel Serra corre pelo tricampeonato e tinha até a última quarta-feira (11) seu companheiro na equipe Eurofarma RC, Ricardo Maurício, como concorrente mais próximo. Só que um julgamento de segunda instância na corte colocou agora Thiago Camilo como segundo colocado do campeonato, mais distante do líder.

A polêmica começou após a etapa de Goiânia, há três semanas. Ricardo Maurício venceu a segunda prova da rodada da Stock Car, porém, foi desclassificado horas depois por conta de uma denúncia do time do carro de Cacá Bueno de que sua luz de freio, item obrigatório de segurança, não estava funcionando.

Fique ligado em nossas redes sociais: 
Twitter – @projetomotor
Facebook – Projeto Motor
Youtube – Projeto Motor
Instagram – @projetomotor

A equipe Eurofarma RC, de Ricardinho, entrou com um recurso e conseguiu os pontos de volta. Porém, em julgamento em segunda instância nesta semana, o STJD da Confederação Brasileira de Automobilismo resolveu, por unanimidade dos cinco auditores, voltar a puní-lo. Com a decisão, a vitória da prova foi para o companheiro de Bueno, Felipe Fraga, e a diferença de Daniel no campeonato subiu dos 18 pontos que seria em relação a Ricardinho antes do julgamento para 29 para Camilo.

Durante as entrevistas desta quinta-feira em Interlagos, Maurício lamentou ter perdido 40 pontos durante o campeonato (ele também foi punido por conta de um pit stop irregular no Velo Città), mas buscou não entrar em polêmica. “Foi um ano bacana para mim e o Daniel. Não temos o melhor carro, mas sempre estivemos bem, marcando muitos pontos. Infelizmente perdi os pontos e chego à etapa final a 43 do Daniel”, apontou durante coletiva de imprensa.

Ricardo Maurício recebe a bandeirada à frente de Felipe Fraga em Goiânia. Piloto perdeu a vitória depois (Foto: Duda Bairros/Vicar)

Thiago Camilo, beneficiado com a mudança, lembrou por outro lado de que também perdeu pontos durante a temporada (uma punição por queima de largada na primeira etapa de Goiânia, em maio, que foi imposta apenas depois da prova), e apontou que o principal problema da questão é a CBA não penalizar ainda durante a corrida. “Não é uma situação agradável. Deveríamos para o ano que ver criar algo para decidir na pista, não no tribunal”, reclamou.

Campeonato da Stock Car pode ficar sob judicie

A maior dor de cabeça pode vir nas próximas semanas com a possibilidade de uma briga na justiça mais longa pelo título, deixando o resultado da prova final em dúvida.

Proprietário da equipe RC, Rosinei Campos, mais conhecido como Meinha, não escondeu a frustração com a decisão do STJD, mesmo que seu outro piloto entre na prova de domingo com um favoritismo ainda maior.

“É uma situação que o regulamento fala que uma irregularidade técnica será punida em desclassificação, porém, o CDA [Código Desportivo do Automobilismo] também fala que há de se observar a natureza, como essa irregularidade ocorreu. Foi algo que aconteceu durante a prova, de a luz de freio falhar, nem o piloto nem a equipe sabiam que ela parou de funcionar. Os comissários não chamaram para consertar porque também não tinham certeza. E o piloto não teve vantagem técnica”, disse em EXCLUSIVA ao Projeto Motor.

“Eu acho injusto desportivamente tirar os pontos do piloto, que não teve nada a ver com o ocorrido. Se alguém teve a ver foi a equipe. Foi uma falha imprevista e a equipe recebeu a multa. Só que eles reverteram na segunda instância. Agora, vamos ver o que os advogados vão fazer na sequência”, seguiu.

Questionado pela reportagem do Projeto Motor se a equipe pretende buscar outras instâncias ou até mesmo a justiça comum para tentar reverter novamente a decisão, ele disse que tanto o time como seu principal patrocinador, a Eurofarma, acreditam que devem buscar os pontos e a vitória de Maurício até se esgotarem as possibilidades..

“Quem está cuidando disso é o advogado do piloto e da equipe. Ele que está cuidando. Não sei exatamente qual será o caminho a ser tomado”, afirmou. “Nosso patrocinador acredita que é injusto tirar os pontos numa prova que o piloto teve o mérito desportivo, não atrapalhou ninguém. Por isso entendemos como injusta a desclassificação”, acrescentou.

Assim, caso Maurício perca o título por menos do que os 24 pontos que perdeu da etapa de Goiânia e leve sua reclamação em frente, ele ainda poderia mudar o destino da taça após a prova.

Decisão de domingo

Levando-se em conta a atual situação do campeonato, Daniel Serra entra na pista domingo como o grande favorito ao título. Ele corre por um quinto lugar para sagrar-se campeão sem depender do resultado dos outros competidores. Além de dele, Camilo e Maurício, também possuem chances matemáticas Rubens Barrichello (a 51 pontos de Daniel), Felipe Fraga e Júlio Campos (ambos a 52).

Seis pilotos chegam à Final da Stock Car de 2019 com chance de título
Seis pilotos chegam à Final da Stock Car de 2019 com chance de título (Foto: Duda Bairros/Vicar)

Vindo de um bicampeonato, o paulista tem a chance de igualar o feito do pai, Chico Serra, que levou em sequência os títulos de 1999 a 2001. “Ainda não pensei nisso. Estou focado em vencer no domingo, e aí depois da corrida converso sobre isso”, respondeu o piloto nesta quinta-feira sobre a possibilidade.

Sempre muito focado e calmo, Serra, que liderou a maior parte da temporada, afirmou que a chave para estar nesta posição privilegiada foi a regularidade, já que outras equipe e pilotos, como Thiago Camilo – que conquistou seis poles e cinco vitórias contra apenas um triunfo de Daniel – estiveram muitas vezes mais rápidos. “Sempre estivemos muito consistentes em quase todas as etapas. Tivemos menos vitórias do que em outros anos, mas sempre chegamos ao pódio”, explicou.

Neste domingo, no entanto, ele terá um desafio diferente. Constante nas rodadas duplas para marcar o maior número de pontos mesmo não sendo o mais rápido na pista, Serra decidirá o campeonato em prova única valendo o dobro de pontos. A corrida da Stock Car terá 40 minutos mais uma volta, com um pit stop e os carros serão lacrados após a classificação, podendo trocar apenas os pneus, mas não podendo mais serem reabastecidos antes da largada.

“Tem que ser mais agressivo. Não pensar tanto em guardar push [botão para ultrapassagem que rende alguns cavalos a mais por segundos] ou economizar pneus”, explicou Serra. Ao seu lado, Maurício lembrou do bom desempenho da equipe RC na Corrida do Milhão, também realizada neste formato em Interlagos em agosto em que ambos terminaram no pódio, com ele em primeiro. “Vai ser praticamente o mesmo regulamento da Corrida do Milhão. Fomos muito competitivos. Vamos ter que fazer um acerto mais agressivo, mais curto”, explicou.

A Super Final da Stock Car acontece neste domingo (12) às 10h10 com transmissão ao vivo de Globo e Sportv.


 Comunicar Erro

Lucas Santochi

Mais um fanático da gangue que criou vínculo com automobilismo desde a infância. Acampou diversas vezes nas calçadas ao redor de Interlagos para assistir aos GPs e nunca esqueceu a primeira vez que, ainda do lado de fora do autódromo, ouviu o barulho de F1 acelerando pela reta. Jornalista formado em 2004, passou por redações na época da TV Band e Abril, teve experiência na área de assessoria de comunicação esportiva até chegar ao site especializado em esporte a motor Tazio, em 2010. Passou pelas funções de redator, repórter (cobrindo diversas corridas no Brasil e exterior de F1, Indy, WEC, Stock Car, entre outras) e subeditor até o final de 2013, quando o veículo encerrou suas atividades. Trabalhou ainda como redator do UOL Esporte em 2014 até que decidiu se juntar com os outros três membros do Projeto Motor para investir na iniciativa.