Debate Motor #31: Qual a temporada mais emocionante que a F1 já teve?

3

Em mais de 65 anos de história, o Campeonato Mundial de F1 já contou com temporadas de todos os tipos: domínios acachapantes, disputas acirradas, rivalidades intensas, reviravoltas e polêmicas. Como acontece em todos os esportes, obviamente há anos em que a disputa é mais morna, mas, em outros, a batalha entra para a história, seja para amantes da velocidade ou não.

ENTREVISTAS, MATÉRIAS E DEBATES: curta nosso canal no YouTube

Até o momento, a temporada de 2016 vem proporcionando corridas agitadas e uma batalha intrigante pelo título de pilotos. Mas qual foi a melhor e mais emocionante temporada já realizada pela F1 em toda sua história?

Este é o tema da edição de número 31 do Debate Motor, em que a equipe do Projeto Motor relembra as principais temporadas da F1 da história e apontando qual foi, em nossa opinião, o campeonato mais legal que já vimos.

Assista  no player e deixe sua opinião: qual foi a temporada mais emocionante que você já viu e por quê?

 Comunicar Erro

Projeto Motor

Automobilismo além da notícia!

  • Irineu_Siqueira_Neto

    2008

  • Hecto Silva

    Acredito que foi 1986, porque houve uma violenta briga entre 4 grandes pilotos (Prost, Piquet, Mansell e Senna) e 4 equipes (McLaren, Williams, Lotus e Benetton).

    1) McLaren: Prost não tinha um carro competitivo nos treinos, já que a Porsche em 1986 não tinha motor de classificação, mas nos treinos de manhã com ajuste de corrida e de tanque cheio (Warn-up) era normalmente o carro mais rápido em 10 ocasiões a McLaren fez o melhor tempo, contra apenas 2 da Williams e 1 da Lotus. O grande drama da Mclaren era de consumo de combustível, por isto a McLaren era um caro muito rápido, acelerando forte, mas tinha que dosar o combustível, isto explica o fato de ter só 2 melhores voltas.

    2) Lotus: Senna tinha um bom motor de classificação o que explica as 8 poles, mas o seu problema de corrida era pior que o da McLaren, porque a Lotus de tanque cheio não era um carro rápido e ainda tinha problemas de consumo, mas Senna chegou a liderar o campeonato até metade do ano. A competitividade da Lotus se resumia a pistas de baixa velocidade. Em nenhum momento a Lotus fez a melhor volta da corrida.

    3) Williams: Piquet e Mansell, tinham o ótimo e econômico motor Honda, o que explica as 11 melhores voltas destes carros, eram fortes em qualquer tipo de pista. Mansell e Piquet perderam um campeonato que era para ser uma barbada, já que a McLaren, Lotus e até Benetton não tinha combustível para duelar com a Williams.

    4) Benetton: No final do ano veio uma Benetton com motor BMW muito forte em pistas de alta velocidade, fazendo 3 vezes a melhor volta e 2 poles, a vitória de Berger no México se deve muito a altitude com isto o beberrão motor BMW pode acelerar a vontade, McLaren e Lotus, que também tinham motores sedentos, também andaram mais que a Williams nesta pista, porque o risco de pane seca era zero.

    • Gabriel Pena Catabriga

      Bela análise! Mas campeonatos focados em apenas 2 pilotos também podem ser emocionantes, 1991 foi um belo campeonato. Mas numero de vencedores e pilotos as vezes não quer dizer muita coisa, por exemplo 2012 apenas no oitavo GP foi repetir um vencedor, mas depois foi um domínio total da RedBull.

      O bom para o campeonato mesmo é ter dois pilotos excelentes no melhor carro, aí solta faísca entre os dois, foi o que ocorreu em 86, a briga entre Piquet e Mansell, fez os dois perderem o campeonato para o Prost.