Debate Motor #85 analisa: Quais as chances de Kubica de fato voltar à F1?

2

O que antes parecia inimaginável vai ganhando corpo em 2017. Robert Kubica, que viu sua carreira na F1 ser interrompida bruscamente após um grave acidente de rali, aos poucos vai flertando com seu retorno à categoria, de modo que se torna um forte candidato a uma vaga em 2018.

Acompanhe o PROJETO MOTOR na redes sociais: Twitter | Facebook | YouTube

O polonês já realizou dois testes com a Renault utilizando um antigo modelo da Lotus, de 2012. Na próxima semana, dará mais um passo: estará a bordo do RS17 nos treinos pós-GP da Hungria, onde poderá testar suas habilidades e condição física nos carros mais rápidos e exigentes de 2017.

Obviamente, a possibilidade de Kubica retornar à F1 gera grande burburinho nas equipes, pilotos e público. Mas o que podemos concluir de toda essa situação? E quais são as suas possibilidades?

É o que analisamos na edição #85 do Debate Motor. Assista e mande seu comentário!

 Comunicar Erro

Projeto Motor

Automobilismo além da notícia!

  • Pode ter sido apenas uma ação de relações públicas no início. A Renault permitir que Kubica desse umas voltas no carro que ele iria conduzir em 2012 só pode gerar notícias positivas. De todo modo, o que se passou foi algo mais. Ele deu mais de cem voltas no circuito Ricardo Tormo e Valência, simulando ritmo de corrida e de classificação. É claro que ainda pode ser um gesto de boa vontade, mas um teste tão completo num momento em que os franceses parecem estar se unindo à imprensa na cobrança de melhores resultados por parte do enfadonhamente fraco Jolyon Palmer ganhou ares de coisa mais séria.

    Bom… ,se ele consegue aguentar uma corrida e fazer tempos próximos aos de Palmer, não haveria melhor momento para ensaiar um retorno. O fato em si teria um efeito positivo para a equipe em termos de mídia, semelhante á aventura de Alonso na Indy 500.

    Em que pese não terem revelado os tempos de volta, a extensão dos ferimentos que Kubica sofreu nunca foram tão claras para o público quanto agora, com a publicação daquela foto que mostra seu braço direito atrofiado. seria uma narrativa de superação, algo comovente e sem qualquer cobrança por resultados. Se não der em nada, todos saem como pessoas bacanas, se der certo, teremos o polonês elevado ao nível mitológico de um novo Niki Lauda…

    Só uma coisa. Todos concordamos que Kubica era um piloto acima da média, mas eu sempre achei que ele se arrisca demais. Tem algo de Andrea De Cesaris puxando o polonês para além dos limites, em direção aos muros e barreiras desde antes do acidente que quase lhe cobrou o braço direito…

  • Gab

    Eu diria que caso o Kubica se mostre competitivo nos testes, cabe uma vaga para ele em 2018. Não necessariamente na Renault, pode ser numa equipe menor mesmo. O que de fato sabemos é que o Polonês tem muito talento.