Fórmula E anuncia plano de retomada com seis provas em nove dias

0

A Fórmula E divulgou nesta quarta-feira (17) seu plano de retomada, com as seis provas que decidirão sua temporada 2019-20 em um período de nove dias em agosto, todas realizadas em Berlim.

Os ePrixs acontecerão em formato de rodadas duplas e em três desenhos de traçados diferentes no aeroporto de Tempelhof nos dias 5 e 6/08, 8 e 9/08 e finalmente 12 e 13/08. Todos os eventos irão acontecer com portões fechados e seguindo diretrizes impostas pelo governo alemão, que permitirão um número máximo de mil pessoas no local das corridas.

A Fórmula E realizou até o momento apenas cinco etapas de seu campeonato e está paralisada desde o agravamento da pandemia do Covid-19, no começo de março. Sua última prova foi realizada em 29 de fevereiro, em Marraquexe, no Marrocos. Por enquanto, o português António Félix da Costa, da equipe DS Techeetah, lidera o campeonato com 67 pontos, 11 à frente de Mitch Evans, da Jaguar. O brasileiro Lucas di Grassi, da Audi, é o quinto colocado, com 36.

Um esquema para cobertura da imprensa em uma plataforma virtual será realizado para diminuir a quantidade de pessoas no local. Apenas pessoas ligadas à transmissão de TV serão permitidas.

Regras de isolamento da Fórmula E

Assim como a F1 e outras categorias que anunciaram uma série de regras para retomar suas atividades, a Fórmula E também irá adotar diversas normas para manter um isolamento mínimo das pessoas que participarem do evento e diminuir as chances de contágio.

1 – Redução do número de pessoas

Enquanto o número normal de pessoas trabalhando nas etapas da Fórmula E gira em torno de 5 mil, nas corridas em Berlim será permitido apenas um máximo de mil. Serão adotados horários mais rígidos de toque de recolher das equipes e os times ainda terão que seguir um esquema de rotação.

2 – Proteção individual

Pessoas com mais de 60 anos e com alguma pré-condição que sejam enquadradas no grupo de risco do Covid-19 não serão permitidas dentro do circuito. Checagens serão feitas em todos que forem credenciados.

3 – Delimitação de zonas

Integrantes das equipes e fornecedores terão áreas demarcadas em que poderão circular dentro do local do evento. Também terão que manter distância e serão isoladas em seus grupos durante as viagens e acomodação nos hotéis.

4 – Isolamento social

Será observada a distância de pelo menos dois metros entre as pessoas ao máximo de tempo possível. Cerimônia de pódio e de largada serão reduzidas para não gerarem aglomeração.

5 – Máscaras

Como era de se esperar, todas as pessoas nos eventos da Fórmula E terão que utilizar máscaras durante todo o tempo. Um tipo específico do item (FFP2 e proteção dos olhos) será exigida para alguns casos dependendo da posição e serviço.

6 – Lavar as mãos

Locais para lavagem das mãos adicionais serão instalados na pista. Serão exigidos que as equipes diminuam ao máximo itens coletivos, deixando equipamentos pré-atribuídos como roupas e ferramentas de trabalho.

7 – Testes

A Fórmula E irá exigir exames negativos do tipo PCR antes para que qualquer pessoa entre no circuito. Novos testes diários serão realizados nas chegadas ao local e repetidos a cada cinco dias.

8 – Checagem médica

Médicos irão checar temperatura e irão realizar questionários sobre o estado de saúde e possíveis sintomas de todas as pessoas no evento em todos os dias.

9 – Restrições de viagens

A Fórmula E está trabalhando em conjunto com o governo alemão e promete seguir todas as restrições e regras impostas pelas autoridades locais.

10 – Código de conduta

Todos os credenciados terão que passar uma entrevista obrigatória para receber o credenciamento.


 Comunicar Erro

Lucas Santochi

Mais um fanático da gangue que criou vínculo com automobilismo desde a infância. Acampou diversas vezes nas calçadas ao redor de Interlagos para assistir aos GPs e nunca esqueceu a primeira vez que, ainda do lado de fora do autódromo, ouviu o barulho de F1 acelerando pela reta. Jornalista formado em 2004, passou por redações na época da TV Band e Abril, teve experiência na área de assessoria de comunicação esportiva até chegar ao site especializado em esporte a motor Tazio, em 2010. Passou pelas funções de redator, repórter (cobrindo diversas corridas no Brasil e exterior de F1, Indy, WEC, Stock Car, entre outras) e subeditor até o final de 2013, quando o veículo encerrou suas atividades. Trabalhou ainda como redator do UOL Esporte em 2014 até que decidiu se juntar com os outros três membros do Projeto Motor para investir na iniciativa.