Jenson Button exclusivo: adaptação a Le Mans, comparação LMP1 x F1 e mais

0

De veterano a estreante: Jenson Button, um dos pilotos de maior bagagem na F1, incluindo mais de 300 GPs e um título mundial, inicia um novo capítulo de sua carreira em grande ocasião, nas 24 Horas de Le Mans de 2018.

O inglês ocupa cargo de piloto regular da equipe SMP Racing, da classe LMP1, e está comprometido ao WEC por toda a supertemporada de 2018/2019. Ele não participou da abertura do campeonato, em Spa-Francorchamps, mas a partir de agora conciliará suas atividades no endurance com a campanha no Super GT japonês.

Acompanhe o PROJETO MOTOR na redes sociais: Twitter | Facebook | YouTube

Durante as atividades das 24 Horas de Le Mans, Button conversou com exclusividade com o Projeto Motor e expressou seu encanto com o evento com base no que viu até então: “Quando o sol se põe aqui, a atmosfera é surreal. Tenho certeza de que todas as corridas de 24 horas são assim, mas aqui a sensação é muito especial. Muitas equipes fantásticas no paddock, as arquibancadas cheias, 180 pilotos participando e as luzes aparecem. É simplesmente espetacular. É um momento realmente especial”, explicou.

Button integra um dos vários protótipos privados da classe LMP1, que atualmente conta apenas com a Toyota de equipe de fábrica – e única com tecnologia híbrida. Ao analisar o equipamento, ele fez uma comparação direta com um F1: “Bem, se você comparar um LMP1 com um F1, obviamente há muito menos potência – são 700 cv em vez de 950 cv”, disse.

LEIA TAMBÉM: Não é só Alonso: 5 histórias para ficar de olho nas 24H de Le Mans de 2018

“Mas o que é tão surpreendente neste carro é a aderência que ele tem em curvas de alta velocidade. As curvas Porsche, que sequência de curvas! O chassi BR1 gruda no chão por ali.”

“Na F1, você acerta o carro para curvas de alta velocidade saindo um pouco de frente na entrada para você não ter uma saída de traseira. Com esse carro, você começa a virar e tem tanta aderência na frente que, inicialmente, se preocupa com a traseira. Mas, quando você pega confiança no carro, percebe que ele tem tanta aderência… Você vira o volante ao mínimo, a traseira tem aderência e consegue carregar muita velocidade nas curvas de alta. Eu realmente estou gostando do carro.”

Assista à entrevista completa do Projeto Motor com Jenson Button no topo desta nota. Aproveite também e se inscreva em nosso canal no YouTube e acione o sino para receber as notificações!

 Comunicar Erro

Bruno Ferreira

Sempre gostou de automobilismo e assiste às corridas desde que era criança. A paixão atingiu outro patamar quando viu – e ouviu – um carro de F1 ao vivo pela primeira vez. Depois disso, o gosto pelas corridas acabou se transformando em profissão. Iniciou sua trajetória como jornalista especializado em automobilismo em 2010, no mesmo ano em que se formou, quando publicou seu primeiro texto no site Tazio. De lá para cá, cobriu GPs de F1 no Brasil e no exterior, incluindo duas decisões de título (2011 e 2012), além de provas de categorias como Indy, WEC, WTCC e Stock Car.