Na Tela #10: um show de onboard de várias épocas da F1

1

A câmera onboard é um artifício dos mais legais para quem gosta do automobilismo. Ela permite ao telespectador visualizar de forma mais próxima as dificuldades e habilidade dos pilotos, além do barulho e reações do carro. Já contamos a história deste dispositivo na F1 aqui no Projeto Motor.

O Na Tela desta semana serve apenas para apreciarmos os mais diversos pilotos e máquinas conduzindo seus carros, nas mais diferentes épocas da F1, através das lentes das câmeras em seus carros.

Pronto para esta viagem? Então vamos lá:

Juan Manuel Fangio – 250F Maserati – Modena

Jim Clark – Lotus 25 – Oulton Park (1963)

Jackie Stewart – Matra MS80 – Mônaco (1969)

Ronnie Peterson – March 721 – Anderstorp (1972)

Niki Lauda – Ferrari 312T2 – Monza (1977)

Patrick Depailler – Tyrrell 008 – Montreal (1978)

Patrick Depailler – Tyrrell 008 – Long Beach (1978)

Jacques Laffite – Ligier JS9 – Monza (1978)

Didier Pironi – Tyrrel 008 – Watkins Glen (1978)

Alain Prost Renault RE40 – Kyalami (1983)

Ayrton Senna – Lotus 99T – Mônaco (1987)

Ayrton Senna – McLaren MP4/5 – Suzuka (1989)

Nelson Piquet – Benetton B191 – Ímola (1991)

Nigel Mansell – Williams FW14 – Silverstone (1991)

Mika Hakkinen – McLaren MP4/14 – Silverstone (1999)

Michael Schumacher – F2005 – Monza (2005)

Fernando Alonso – R25 – Barcelona (2005)

Sebastian Vettel – RB9 – Buddh (2013)

Lewis Hamilton – Mercedes W06 Hybrid – Melbourne (2015)

FAIXA BÔNUS

GP do Brasil de 2012 – Interlagos – diversos carros:

 Comunicar Erro

Lucas Santochi

Mais um fanático da gangue que criou vínculo com automobilismo desde a infância. Acampou diversas vezes nas calçadas ao redor de Interlagos para assistir aos GPs e nunca esqueceu a primeira vez que, ainda do lado de fora do autódromo, ouviu o barulho de F1 acelerando pela reta. Jornalista formado em 2004, passou por redações na época da TV Band e Abril, teve experiência na área de assessoria de comunicação esportiva até chegar ao site especializado em esporte a motor Tazio, em 2010. Passou pelas funções de redator, repórter (cobrindo diversas corridas no Brasil e exterior de F1, Indy, WEC, Stock Car, entre outras) e subeditor até o final de 2013, quando o veículo encerrou suas atividades. Trabalhou ainda como redator do UOL Esporte em 2014 até que decidiu se juntar com os outros três membros do Projeto Motor para investir na iniciativa.

  • Gustavo Segamarchi

    Os amantes da tecnologia que me critiquem.

    Mas, o câmbio MANUAL era demais. Para 2017, a FIA deveria pensar no retorno desse artifício para a F1.

    Todos nós sabemos que a F1 é uma categoria à parte de todas as outras categorias do automobilismo.

    SAVE THE MANUALS.