Numerama #1: Hamilton garante 15º pódio consecutivo e se aproxima de recorde de Schumi

1

É verdade que a atuação não foi das melhores, mas ao menos o segundo lugar em Zeltweg valeu para Lewis Hamilton assegurar seu 15º pódio consecutivo na F1. Desde o GP da Itália de 2014, nove meses atrás, o inglês sempre se posiciona entre os três primeiros no páreo.

Atualmente, o recorde de pódios sucessivos no esporte ainda pertence a Michael Schumacher. Entre o GP dos EUA de 2001 e o GP do Japão de 2002, o germânico colocou sua Ferrari por 19 ocasiões entre os três primeiros colocados. Para igualar o feito de Schumi, Hamilton terá que subir ao pódio pelo menos até o GP da Itália, daqui a três meses – o que, convenhamos, dado a superioridade da Mercedes, não é algo tão difícil.

Também no GP da Áustria do último domingo (21), Hamilton empatou com Kimi Raikkonen na relação de pilotos com maior número de pódios na F1. Como o finlandês, o bicampeão agora tem 78 “top 3” na carreira – o quinto melhor na história. Agora está a dois pódios de igualar Ayrton Senna, que tem 80. No total, Schumacher ainda é o recordista de pódios – 155 –, seguido por Alain Prost (106) e Fernando Alonso (97).

A façanha de Hamilton, contudo, se deu no sábado. Com o melhor tempo em Zeltweg, ele se tornou o piloto com maior número de poles em GPs distintos na F1. De 2007 para cá, o inglês largou no posto de honra em 21 eventos diferentes: Abu Dhabi, Alemanha, Austrália, Áustria, Bahrein, Bélgica, Brasil, Canadá, China, Cingapura, Coreia do Sul, Espanha, Estados Unidos, Europa, Hungria, Inglaterra, Itália, Japão, Malásia, Mônaco e Rússia. Atrás de Hamilton na relação de pilotos, só nomes respeitados: Prost e Sebastian Vettel, com poles em 20 GPs distintos; Schumacher, em 19; e Senna, em 18.

Outros pilotos do grid concluíram pequenos feitos. Nico Rosberg chegou à 11ª vitória na carreira, igualando os brasileiros Felipe Massa e Rubens Barrichello e o campeão de 1997, Jacques Villeneuve. Massa, por sua vez, garantiu seu 40º pódio na história. Em números absolutos, o brasileiro é o 20º melhor na lista, à frente de nomes consagrados como Juan Manuel Fangio e Graham Hill.

Todas as segundas-feiras após os GPs, o comitê do Projeto Motor vai publicar uma edição do NUMERAMA, com as estatísticas mais interessantes da corrida no fim de semana. Os números são compilados por Lucas Berredo.

 Comunicar Erro

Lucas Berredo

Natural de Belém do Pará, tem uma relação de longa data com o automobilismo, uma vez que, diz sua família, torcia por Ayrton Senna quando sequer sabia ler e escrever. Já adolescente, perdeu o pachequismo e passou a se interessar pelo estudo histórico do esporte a motor, desenvolvendo um estranho passatempo de compilar matérias e dados estatísticos. Jornalista desde os 18 anos, passou por Diário do Pará e Amazônia Jornal/O Liberal, cobrindo primariamente as áreas cultural e esportiva como repórter e subeditor. Aos 22, mudou-se para São Paulo, trabalhando finalmente com automobilismo no site Tazio, onde ficou de 2011 até o fim de 2013. Em paralelo ao jornalismo, teve uma rápida passagem pelo mercado editorial. Também é músico.

  • Gustavo Segamarchi

    Em minha modesta concepção, ontem, o nome da corrida, foi o de Felipe Massa.

    O Massa fez uma corrida brilhante e conseguiu segurar a poderosa Ferrari e o talentoso Vettel. O Massa não é um piloto ruim, é que às vezes, falta um pouco de sorte para ele.

    Por incrível que pareça, os nomes de Rubens Barrichello e Felipe Massa, são mais respeitados no exterior, do que aqui no Brasil.