Red Bull anuncia troca para a Honda. Acertou? | Plantão Motor

0

A Red Bull anunciou nesta terça-feira (19/06) que deixará de competir em 2019 com os motores da Renault para passar a andar com os da Honda. A fabricante japonesa já fornece atualmente os propulsores da Toro Rosso, time que faz parte do mesmo grupo da equipe austríaca.

Fique ligado em nossas redes sociais: 
Twitter – @projetomotor
Facebook – Projeto Motor
Youtube – Projeto Motor
Instagram – @projetomotor

No Plantão Motor, analisamos o cenário e motivos que incentivaram a decisão da Red Bull, mesmo com a Honda ainda não ter se mostrado no mesmo nível das principais concorrentes. Afinal, a decisão não deixa de ser impactante pelo longo período de parceria com os franceses.

Red Bull e Renault estão juntas desde 2007, e neste tempo conquistaram 57 vitórias e quatro campeonatos mundiais. O casamento, no entanto, já estava abalado desde 2014, quando o novo regulamento de motores entrou em vigor e a marca de propulsores nunca conseguiu competir com Mercedes e Ferrari.

Agora, Red Bull terá dois anos de trabalho com a Honda na atual configuração do trem de força até que em 2021 a F1 adote as novas unidades de potência que ainda estão em discussão. Para os japoneses, além de ganharem uma equipe de ponta em seu portfólio, ainda mantém o trabalho com a Toro Rosso e passam a ter quatro carros de duas equipes ligadas para desenvolver seu equipamento.

O Plantão Motor é um programa feito de forma excepcional a qualquer dia e hora para analisar notícias importantes do mundo do automobilismo. Não perca o nosso semanal Debate Motor, que sempre é transmitido, também AO VIVO, às quintas-feiras às 21 horas (de Brasília), além do Bate-Pronto, nos domingos de GP de F1.

Para não perder nenhum dos programas, não deixe de se inscrever em nosso canal no Youtube e acionar as notificações para ser avisado quando novas transmissões AO VIVO ou vídeos com análises, entrevistas e reportagens são colocados no ar.

 Comunicar Erro

Lucas Santochi

Mais um fanático da gangue que criou vínculo com automobilismo desde a infância. Acampou diversas vezes nas calçadas ao redor de Interlagos para assistir aos GPs e nunca esqueceu a primeira vez que, ainda do lado de fora do autódromo, ouviu o barulho de F1 acelerando pela reta. Jornalista formado em 2004, passou por redações na época da TV Band e Abril, teve experiência na área de assessoria de comunicação esportiva até chegar ao site especializado em esporte a motor Tazio, em 2010. Passou pelas funções de redator, repórter (cobrindo diversas corridas no Brasil e exterior de F1, Indy, WEC, Stock Car, entre outras) e subeditor até o final de 2013, quando o veículo encerrou suas atividades. Trabalhou ainda como redator do UOL Esporte em 2014 até que decidiu se juntar com os outros três membros do Projeto Motor para investir na iniciativa.