Quatro Rodas
Hamilton vai se tornando dono dos principais recordes da F1

Dez vitórias que marcaram a trajetória de Hamilton na F1

Não é exatamente fácil fazer uma lista de 10 melhores vitórias na F1 de um piloto que tem 91 triunfos. Lewis Hamilton igualou o recorde de Michael Schumacher, no GP de Eifel, em Nurburgring, e deve superá-lo em breve.

O Projeto Motor resolveu então mostrar um pouco do caminho de Hamilton até esta incrível marca através de vitórias em que o inglês teve um desempenho acima da média ou que tiveram um peso especial em suas campanhas.

Para deixarmos a lista menos subjetiva, a deixamos em ordem cronológica dos triunfos de Hamilton em vez de fazermos um ranking exclusivamente por qualidade, já que isso pode variar bastante de opinião. Mesmo assim, podemos nos divertir com a análise e você pode deixar nos comentários quais vitórias do piloto você acha as mais legais e os motivos.

GP do Canadá de 2007: a primeira de Hamilton

Hamilton já vinha fazendo uma temporada de estreia impressionante na McLaren, deixando muitas vezes seu companheiro, o bicampeão Fernando Alonso, para trás. Na quarta corrida de sua vida na F1, ele já chegou a liderar o campeonato. A primeira vitória veio, no entanto, em sua sexta participação, em Montreal.

Hamilton celebra sua primeira vitória na F1, no Canadá
Hamilton celebra sua primeira vitória na F1, no Canadá (Foto: Bridgestone)

O inglês largou na pole position e dominou a corrida, perdendo a liderança apenas em um momento de paradas no pit. Um momento especial para qualquer piloto e neste caso para a própria F1, que tinha um de seus grandes nomes da história iniciando sua trajetória.

GP do Japão de 2007: show em condições difíceis

Em um final de semana de condições climáticas difíceis, Hamilton mais uma vez se impôs em sua temporada de estreia e colocou vantagem no campeonato em cima de seu companheiro, Fernando Alonso, que estava em pé de guerra com a McLaren.

Triunfo no Japão foi marcante no começo de carreira de Hamilton
Triunfo no Japão foi marcante no começo de carreira de Hamilton (Foto: Bridgestone)

O inglês largou na pole e fez a melhor volta da corrida, liderando ainda 55 das 67 voltas da prova em Fuji. Com vacilos nas duas corridas seguintes, na China e no Brasil, o título acabou não vindo, mas Hamilton já mostrava que seria um dos nomes importantes da F1 nos anos pela frente.

GP da Grã-Bretanha de 2008: a primeira obra de arte

Na carreira de todo piloto, existem algumas performances que se destacam. São dias especiais, em que ele está um degrau acima dos outros. O triunfo em Silverstone em 2008 foi um destes momentos de Hamilton.

O primeiro triunfo de Hamilton em casa foi uma aula de pilotagem (Foto: Bridgestone)

Em um domingo de muita chuva, que bagunçou bastante a corrida, o futuro multicampeão sobrou para vencer pela primeira vez em frente aos seus torcedores locais. Para se ter ideia, ele terminou mais de um minuto à frente do segundo colocado, Nick Heidfeld, da BMW. Dos pilotos da Ferrari, que eram seus dois principais concorrentes ao título, Kimi Raikkonen foi quem chegou mais perto, em quarto, uma volta atrás.

GP da China de 2008: caminho para o título

Em sua briga contra Felipe Massa no campeonato, o GP da China se tornou um momento chave para Hamilton. Um triunfo do brasileiro levaria os dois praticamente em igualdade para a etapa final, no Brasil. A Ferrari estava em um bom momento em termos de desempenho e o inglês não vencia há seis corridas.

Hamilton então fez mais uma daquelas corridas de imposição em que largou na pole, liderou praticamente todas as voltas (saiu da ponta apenas no pit stop) e venceu fazendo a melhor volta, com Massa e Kimi Raikkonen logo atrás. O resultado o levou para Interlagos com o que pareciam sete confortáveis pontos de margem para o brasileiro. No final, a prova decisiva acabou se tornando um grande drama nas últimas voltas, mas mesmo assim valeu o primeiro título para o inglês em sua segunda temporada na F1.

GP da Hungria de 2009: Hamilton vence a primeira dos híbridos

Vitória na Hungria em 2009 teve um simbolismo histórico para a F1 (Foto: Bridgestone)

A temporada de 2009 marcou uma grande mudança no regulamento e polêmicas sobre a interpretação das regras. Além disso, também teve a primeira aparição de motores híbridos, com a chegada do Kers. Tudo isso inverteu de forma drástica as forças da F1, com o surgimento de Brawn GP e da própria Red Bull enquanto McLaren e Ferrari começaram a sofrer.

Já na segunda metade do campeonato, a McLaren começou a reagir e foi Hamilton que conquistou a primeira vitória na história de um carro equipado com uma unidade de potência que levava um sistema de recuperação de energia. Saindo da quarta posição, ele teve alguns momentos de sorte com problemas dos rivais, fez uma ultrapassagem sobre Mark Webber e controlou a prova após o problema na Renault de Fernando Alonso.

GP da China de 2011: agressividade de Hamilton dá resultado

A corrida em Xangai começou e até parecia que seria uma briga entre os companheiros de McLaren, Jenson Button e Hamilton. Só que depois da rodada de pit stops, Hamilton caiu para quinto e precisou remar na pista por posições.

Com belas ultrapassagens desenhadas principalmente entre as últimas duas curvas e a primeira do traçado chinês, Hamilton se recuperou e conseguiu uma grande vitória em um ano complicado para sua carreira, em que cometeu muitos erros e foi superado por Button no campeonato. Mesmo assim, em seus dias bons, ele mostrava que ainda conseguia se impor contra os rivais.

GP dos EUA de 2012: Hamilton batiza Austin

Na primeira corrida do mais novo circuito americano da F1, Hamilton mostrou mais uma vez sua habilidade ao bater os pilotos da Red Bull, equipe dominante do começo dos anos 2010, pela vitória.

O inglês largou em segundo, caiu para terceiro, mas superou na pista Webber e depois Sebastian Vettel. Depois, dominou a prova para vencer pela primeira na inauguração da pista de Austin.

GP do Bahrein de 2014: em situação inferior, habilidade de Hamilton salva

Em situação adversa, Hamilton bateu Rosberg em show de defesa no Bahrein-2014
Em situação adversa, Hamilton bateu Rosberg em show de defesa no Bahrein-2014 (Foto: Daimler AG)

A temporada de 2014 marcou o início de domínio da Mercedes na F1 com a introdução das novas unidades de potência híbridas. Com um carro tão à frente dos rivais, a briga pelos títulos ficou reservada para Hamilton e seu companheiro, Nico Rosberg. E o GP de Bahrein daquele ano marcou o primeiro embate direto entre os dois.

Após perder a ponta na largada e tentar diversas vezes a ultrapassagem sobre Hamilton sem sucesso, Rosberg resolveu apostar na estratégia e deixou os pneus médios para a parte final da prova, quando o companheiro teria os duros. No começo do último trecho com pneus melhores, o alemão estava 10 segundos atrás, mas teve a sorte da entrada de um safety car que o deixou logo atrás do companheiro para as últimas 10 voltas.

Tudo indicava uma ultrapassagem tranquila por parte do alemão e ele realmente foi para cima após a relargada. Ele só não esperava, talvez, que Hamilton fosse lutar tanto pela ponta, mesmo em situação de desvantagem técnica. O inglês precisou abrir um arsenal de manobras, bloqueando parte interna do traçado, fazendo o “xis” e até chegando a perder a posição na freada da grande reta para recuperar na seguinte ao desenhar melhor a chicane do começo do traçado de Sakhir. Uma aula de pilotagem que garantiu uma das grandes vitórias de Hamilton na F1.

GP da Alemanha de 2018: uma das melhores fases

Vitória na Alemanha iniciou uma virada no campeonato de 2018 para Hamilton
Vitória na Alemanha iniciou uma virada no campeonato de 2018 para Hamilton (Foto: Wolfgang Wilhelm /Mercedes)

A temporada de 2018 teve uma Ferrari mais forte do que nunca dentro da era híbrida. E Sebastian Vettel começou a mostrar que poderia partir para uma boa sequência na liderança do campeonato. Só que a segunda metade daquele campeonato foi marcada pela conjunção de uma sequência de erros do alemão com algumas das melhores atuações de Hamilton na F1.

A começar pela corrida em Hockenheim. Vettel largou na pole e seguia tranquilo na frente enquanto Hamilton, após um problema na classificação, foi obrigado a largar em 14º. O inglês veio se recuperando rápido na prova e quando a chuva veio, o jogo virou por completo. O piloto da Ferrari bateu e o inglês da Mercedes conseguiu tomar a ponta em uma das grandes viradas de sua carreira. A vitória começou a pavimentar o caminho para mais um título.

GP da Itália de 2018: na casa dos rivais, mais uma aula

Na casa da Ferrari, desempenho de Hamilton fez até torcedores italianos aplaudirem a vitória (Foto: Wolfgang Wilhelm/Mercedes)

A corrida de Monza daquela temporada foi talvez quando Hamilton mostrou que mesmo com a evolução da Ferrari, ele realmente não deixaria escapar o título. A equipe italiana corria em casa com um franco favoritismo pelo estilo de seu carro, que tinha boa velocidade nas retas.

Hamilton largou em terceiro e quando chegou na Variante della Roggia, fez uma manobra agressiva por fora em cima de Vettel para assumir a segunda posição. O alemão, desnorteado, ainda cometeu um erro e rodou. O resto da corrida foi uma dura perseguição ao outro piloto da Ferrari, Kimi Raikkonen, que chegou a fazer boas defesas de posição, inclusive com uma troca de posições entre eles.

Só que o piloto da Mercedes conseguiu mais uma bela manobra por fora, desta vez na primeira chicane do traçado italiano, a Variante Rettifilo, faltando apenas nove voltas para o final. Assim, Hamilton tomou a liderança e partiu para uma vitória em frente à torcida rival em que mais uma vez mostrou seu talento quando pressionado.

Previous Article
Next Article
Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial