F1 pode voltar a Interlagos em 2021 apesar de término de contrato

F1 anuncia calendário provisório de 2021 com Interlagos e sem Vietnã

A F1 divulgou nesta terça-feira (10) um calendário provisório para a temporada de 2021 com 23 corridas e algumas novidades importantes. A palavra “provisório” é usada neste caso porque a programação ainda depende de algumas negociações contratuais e anuência do Conselho Mundial do Automobilismo da FIA.

O calendário tem novidades importantes, incluindo pelo menos duas reviravoltas, no Vietnã e Brasil. A primeira é uma grande surpresa e a segunda, apenas mais um capítulo de uma novela na qual a F1 se meteu sem saber direito para onde ela caminharia.

De qualquer maneira, a F1 traz, por enquanto, uma agenda com 23 etapas, o que deve se tornar a temporada mais longa da história, já que também foi incluído o GP da Arábia Saudita, acordo anunciado na última semana do qual o Projeto Motor já falou.

A programação ainda enfrenta alguns desafios para ser confirmada, parecendo mais uma carta de intenções da F1 do que um calendário já estruturado. Isso sem contar que ainda é difícil ter certeza que em março de 2021 a pandemia de Covid já estará totalmente administrada e que as viagens e grandes eventos pelo mundo acontecendo normalmente.

Interlagos de volta na briga pela F1?

Duas provas foram marcadas pela F1 com um asterisco por ainda precisarem de confirmação por falta de contrato. Uma é o GP da Espanha e a outra é o GP do Brasil.

O contrato de longo prazo da prova em Barcelona terminou em 2019, mas os organizadores locais conseguiram uma renovação para 20, antes mesmo da pandemia. Com a explosão da crise de saúde no mundo e a Espanha sendo um dos países mais atingidos, a corrida correu risco, mas ainda aconteceu em agosto, sem público.

Agora, ainda mais com Carlos Sainz se transferindo para a Ferrari e a volta de Fernando Alonso, claro que o interesse no país volta a esquentar. Desta forma, promotores espanhóis e a F1 parecem estar avançando em um novo acordo, pelo menos para 2021.

Já a situação no Brasil é um pouco mais complicada e ainda exige grande precaução sobre a possibilidade ou não de realização. O contrato da categoria com os promotores do evento em São Paulo termina em 2020 e a prova deste ano foi cancelada por conta da pandemia. A F1 tem um acordo com a Rio Motorsport, empresa que venceu uma licitação da prefeitura do Rio de Janeiro para construir um autódromo na cidade em um terreno cedido pelo exército no bairro de Deodoro, na zona oeste.

Só que a companhia ainda não conseguiu as licenças ambientais para iniciar a obra e como estamos em novembro e a própria Rio Motorsports considera que o tempo de construção do autódromo deve ficar entre 14 e 23 meses – apesar de informalmente ter o prazo de 12 meses como alvo com na construção do autódromo de Aragão como exemplo -, a F1 percebeu que a corrida no Rio de Janeiro em 2021 ficou inviável.

Assim, os dirigentes da categoria retomaram conversas com o promotor e a cidade de São Paulo para uma extensão de um ano para manter o GP do Brasil na cidade em 21. Segundo o Projeto Motor apurou, existem agora conversas sobre a viabilidade de um contrato tão curto para Interlagos. Sendo assim, ainda não existe nenhuma garantia da realização da prova no circuito em 2021, o que, neste momento, significa que o evento no país pode ficar de fora do calendário da F1 pela primeira vez desde 1973 (segunda se considerarmos o calendário reformulado de 2020 por conta da pandemia).

Problemas no Vietnã

O GP do Vietnã foi celebrado como o primeiro novo evento a entrar na F1 sob a administração da Liberty. A corrida, em um circuito que usaria tanto ruas da cidade de Hanoi como alguns trechos de pista construídos especialmente para a prova, estrearia no Mundial em 2020. Só que a pandemia causou o cancelamento do evento.

Era algo completamente esperado que a etapa estaria na programação de 2021. Mas não está. E o problema pode ser sério. Presidente do Comitê Popular de Hanói, que administra a cidade, Nguyen Duc Chung, foi preso em agosto sob acusação de apropriação de documentos que continham segredos de estado. Segundo noticiado na imprensa internacional, o fato não tem ligação com a corrida.

Obras do circuito de Hanói de F1 em fase final em janeiro de 2020
Obras do circuito de Hanói de F1 em fase final em janeiro de 2020 (Foto: GP do Vietnã)

Só que Duc Chung foi o principal interlocutor com a F1 na negociação pelo GP do Vietnã e era quem conduzia toda organização da prova. A questão causou um vácuo de comunicação entre F1 e evento, sendo que o governo local avisou a categoria que agora tem outras prioridades, como a pandemia e eleições. Sendo assim, não só o Vietnã fica fora do calendário de 2021 como a prova, apesar de todo investimento já realizado, pode nunca acontecer.  

Mesmo assim, a F1 resolveu deixar uma vaga em aberto na programação em abril. Ela não espera que o país asiático volte a ocupá-la, mas está de olho na possibilidade de mais alguém se interessar. E na mira estão algumas provas que aconteceram de forma extraordinária em 2020, como Portimão e Imola. A questão, claro, vai ficar em quem tem dinheiro para bancar taxas e organização.

Por último, o calendário provisório ainda traz o novo GP da Arábia Saudita, que foi anunciado na semana passada e que agora figura pela primeira vez na história em um calendário da F1. Confira as datas deste calendário provisório da F1 que deve ser enviado para o Conselho Mundial e que ainda precisa ser confirmado:

21/03 – GP da Austrália (Melbourbe)
28/03 – GP do Bahrein (Sakhir)
11/04 – China (Xangai)
25/04 – A ser anunciado
09/05 – GP da Espanha (Barcelona)*
23/05 – GP de Mônaco (Mônaco)
06/06 – GP do Azerbaijão (Baku)
13/06 – GP do Canadá (Montreal)
27/06 – GP da França (Le Castellet)
04/07 – GP da Áustria (Spielberg)
18/07 – GP da Grã-Bretanha (Silverstone)
01/08 – GP da Hungria (Budapeste)
29/08 – GP da Bélgica (Bélgica)
05/09 – GP da Holanda (Zandvoort)
12/09 – GP da Itália (Monza)
26/09 – GP da Rússia (Sochi)
03/10 – GP de Singapura (Singapura)
10/10 – GP do Japão (Suzuka)
24/10 – GP dos EUA (Austin)
31/10 – GP do México (Cidade do México)
14/11 – GP do Brasil (São Paulo)*
28/11 – GP da Arábia Saudita (Jeddah)
05/12 – GP de Abu Dhabi (Abu Dhabi)

Reforma do calendário da F2 e F3

As categorias de base que normalmente acompanham a F1, especialmente nas etapas na Europa, também sofreram uma reformulação em seu calendário. A reforma da programação da F2 e da F3 aconteceu para conter custos das equipes com viagens ao mesmo tempo de manter a quilometragem que pilotos terão na pista.

Isso foi possível com a mudança no formato da programação das duas categorias que passarão a visitar menos pistas, porém, terão três provas em cada final de semana. Só que como não seria possível encaixar seis corridas dos dois campeonatos dentro dos GPs da F1, a solução foi fazer um revezamento entre elas. Assim, F2 e F3 não correrão mais juntas, mas continuam seguindo o Mundial.

Desta forma, confira como ficam os calendários

F2 -2021

26-28/03 – Sakhir, Bahrein
20-22/05 – Monte Carlos, Mônaco
04-06/06 – Baku, Azerbaijão
16-18/07 – Silverstone, Grã-Bretanha
10-12/09 – Monza, Itália
10-12/09 – Sochi, Rússia
26-28/11 – Jeddah, Arábia Saudita
03-05/12 – Yas Marina, Abu Dhabi

F3 – 2021

07-09/05 – Barcelona, Espanha
25-27/06 – Le Castellet, França
02-04/07 – Spielberg, Áustria
30/07-01/08 – Budapeste, Hungria
27-29/08 – Spa-Francorchamps, Bélgica
03-05/09 – Zandvoort, Holanda
22-24/10 – Austin, Estados Unidos

Previous Article
Next Article
Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial