Hamilton e Verstappen batem em Jeddah
(Foto: Lars Baron/Getty Images/Red Bull Content)

Entenda o estranho acidente entre Verstappen e Hamilton em Jeddah

Lewis Hamilton e Max Verstappen protagonizaram no GP da Arábia Saudita mais um domingo de polêmicas. Os dois se envolveram em pelo menos três divididas. Mas o lance que acabou chamando mais a atenção foi o que aconteceu na volta 37, em que o inglês tocou na traseira da Red Bull do holandês em plena reta.

A situação foi toda muito esquisita. Na abertura da volta, Hamilton tentou a ultrapassagem por fora na curva um e parecia que conseguiria completar a manobra. Verstappen, então, se jogou por dentro para manter a posição e esparramou para fora da pista. Hamilton conseguiu desviar do adversário e até voltou ao traçado para fazer a curva dois por dentro das linhas que delimitam a pista, mas seguiu atrás.

Alguns metros depois, a Red Bull pediu para Verstappen ceder a liderança ao adversário para não sofrer uma penalização pelo lance. Mas requisitou que ele fizesse isso de maneira “estratégica”.

Não demorou para o piloto de 24 anos tirasse o pé do acelerador após a curva 26, penúltima do circuito saudita. Hamilton, no entanto, não fez a ultrapassagem, e depois de alguns instantes segurando sua Mercedes atrás, acabou acertando levemente o carro de Verstappen, conseguindo desviar para a esquerda para evitar um dano maior.

A intenção de Verstappen e por que Hamilton não passou

Depois da corrida, os comissários da FIA conversaram com os dois pilotos, estudaram a telemetria dos dois carros e ouviram as conversas de rádio com as equipes. Ficou claro que no instante da manobra, Hamilton não sabia que Verstappen estava lhe cedendo a posição.

O próprio inglês admitiu que ficou confuso, mas que logo depois entendeu qual era a verdadeira intenção do rival. Verstappen realmente ia devolver a liderança de forma “estratégica”. No final daquela reta, existe um ponto de detecção do sistema de asa móvel (DRS). O piloto que passa a menos de um segundo do adversário que vai à frente ali, pode usar o dispositivo na reta seguinte para tentar um ataque.

Verstappen tirou o pé naquele ponto justamente para passar pela linha de detecção logo atrás de Hamilton, entrar colado na reta dos boxes e assim, tentar retomar a posição. Por outro lado, como os comissários explicaram depois em seu comunicado, Hamilton também não quis passar o adversário justamente para evitar a manobra.

O próprio Hamilton, na coletiva de imprensa após a prova, lembrou de um lance seu no GP da Bélgica de 2008. Ele brigava pela ponta com Kimi Raikkonen quando saiu da pista na chicane que leva à reta dos boxes. Naquele instante, ele desacelerou para o finlandês retomar a posição, mas em seguida entrou no vácuo da Ferrari do adversário e fez nova ultrapassagem ao final da mesma reta.

Hamilton venceu a prova, mas depois, os comissários lhe impuseram uma penalização de 25 segundos em seu tempo total de prova, o que o derrubou para terceiro. Como Raikkonen bateu antes da bandeirada, Felipe Massa acabou ficando com a vitória sem liderar nenhuma volta.

A lembrança parece ter ficado viva para o agora heptacampeão, que logo percebeu o que Verstappen poderia estar armando. Por isso, tivemos a cena estranha dos dois primeiros colocados, por alguns instantes, andando devagar e em fila. Só que após alguns segundos, Hamilton acabou tocando atrás da Red Bull.

Por que Verstappen foi punido

Os comissários resolveram acrescentar 10 segundos no tempo total de prova de Verstappen pelo incidente. Na decisão, eles admitiram que Hamilton tinha espaço para fazer a ultrapassagem e resolveu ficar de forma deliberada atrás do adversário, mesmo que ele diminuísse a velocidade.

O que pesou contra Verstappen, no entanto, foi a telemetria que mostrou a forma como o holandês tentou entregar a posição. Ele fez uma freada repentina que, segundo os dados apresentados na decisão, resultou em uma desaceleração de 2,4G, em um ponto de alta velocidade. Depois, ao perceber que Hamilton não faria a ultrapassagem, ele voltou a pisar a no freio.

Isso foi enquadrado como uma manobra errática, ou seja, um movimento não linear, pois ele desacelera e depois freia de novo. Isso é proibido nos códigos desportivos da FIA. Por isso, os comissários resolveram punir apenas Verstappen por considerá-lo “o causador predominante da colisão”.

A punição, de qualquer maneira, acabou não causando uma mudança no resultado final do GP da Arábia Saudita porque o terceiro colocado, Valtteri Bottas, chegou mais tempo atrás.

Comunicar erro

Comentários

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial